Como motivar as pessoas?

Eu trabalho com pessoas em diferentes esferas de atuação. Nos diversos ambientes nos quais atuo, algumas coisas são comuns. Uma delas é que em todos tenho que lidar com projetos, em alguns ambientes podemos até não utilizar a terminologia citada, mas é a mesma coisa.

Sempre que lido com projetos, alguns desafios também são comuns. Imagine os seguintes cenários: você tem que levantar fundos e reunir pessoas para ajudar o Nepal por causa de um terremoto, você precisa fazer a entrega de um software, ou de uma atualização de sistema. Os fins são diferentes, mas o molde é o mesmo, em todo projeto existem finanças, pessoas, tempo, escopo, etc.

Continuar lendo

Grupo ou time?

Reflito, com certa frequência, sobre motivação. Estudo sobre o assunto, analiso as pessoas, suas angústias, comportamentos e os motivos pelos quais elas fazem o que fazem.

Uma das coisas sobre as quais andei refletindo nestes dias foi sobre a diferença entre um grupo e um time. Num grupo, pessoas se unem e fazem algo juntas. Num time, as pessoas se unem e, juntas, fazem algo. Aparentemente não existe muita diferença entre as duas frases, mas acho que vale olharmos com um pouco mais de detalhe o assunto.

Continuar lendo

Pessoas, processos e ferramentas

To create Organizational Agility you need to find the harmony between People, Process, and Tools.  Agile speaks of putting people first, however from my experience, people are the poor step child to process and tools.  People should be the driver, not the passenger.  Creating Organizational Agility means scaling the employee engagement to have and maintain the culture of a start-up.  My experience in scaling agile across large organizations is that even when you put the right process framework and practices in place, you are still missing something.  People are going through the motions but there is a lacklustre of excitement.  They are ‘doing’ agile, but they are not ‘being’ agile.  They don’t have that passion to innovate the product or how they’re creating it.

David Dame – Scrum.org

Simplesmente fantástico. Não deixe de ler o post completo.

Davi e Gengis Khan – Dois grandes gestores

Quero lhe contar a história de duas pessoas muito importantes: Davi, o terceiro rei de Israel, e Gengis Khan, o imperador Mongol.

Conta a história que Davi, antes de ser rei, fugia do Rei Saul, que queria lhe tirar a vida. Para isso ele escondia-se em cavernas. Neste tempo juntaram-se a Davi alguns homens de má fama. Certa vez, Davi mencionou que gostaria de tomar a água de um poço que estava localizado no meio de seus inimigos, ele não pediu isso para ninguém, apenas mencionou. Três de seus homens, sem falar nada a Davi, desceram de seu esconderijo, esgueiraram-se pelo território inimigo, pegaram a água e, mesmo correndo risco de vida, trouxeram a água desejada por Davi.

Continuar lendo

Motivação, agilidade e mudanças

O mundo mudou. Disso não tenho dúvida.

Quando eu comecei a trabalhar, o simples fato de ter que pagar as minhas contas me motivava a dar o melhor no meu trabalho, qual fosse a tarefa a ser realizada. Este tipo de pensamento dominou boa parte do mundo por décadas: funcionários eram submissos e aceitavam as demandas dos chefes, que não hesitavam em utilizar o chicote para aumentar o ritmo de trabalho.

Continuar lendo