Verdade como base para times

Uma vez eu tive um grupo de liderados dos quais eu gostava muito. Isso já aconteceu há muitos anos e não foi na empresa onde estou atualmente, então sinto alguma liberdade em falar sobre o assunto. De qualquer forma, vou omitir nomes e tentar não ser muito detalhista para preservar a identidade dos envolvidos.

Era um grupo diversificado e eu era o mais novo lá. Pela primeira vez eu enfrentava o desafio de liderar um grupo do qual eu não participei desde o começo. Obviamente foi difícil mas, aos poucos, eu fui ganhando a confiança do time e fui me aproximando de cada um.

Como eu imagino que um bom líder faça, eu me importava com as pessoas e elas dividiam comigo questões pessoais. Foi um tempo de crescimento para mim, os assuntos eram tratados com seriedade mas também com descontração. Era a tal da descontração compromissada que eu almejo para o seu ambiente de trabalho.

Lembro-me de casos específicos onde pude participar ativamente de alguns projetos, o grupo era muito unido e tudo foi muito gratificante.

Porém, felizmente, com o tempo, a verdade apareceu.

O grupo realmente era muito unido, porém todos contra a verdade. Grande parte do que eu ouvia nas reuniões ou quando falava com eles tratava-se de mentiras ou de argumentos que eles utilizavam apenas para me agradar. A verdade surgiu aos poucos: primeiro caiu a máscara de um, depois de outro, então de outro, até que o grupo se extinguiu.

Hoje olho as fotos daquela época e, certamente, entristeço-me ao lembrar de tudo o que aconteceu. Mentiras, roubos, outras mentiras…

Porém, como em todo processo que não dá certo, aprendi algumas coisas. A primeira delas foi a de tentar observar quando realmente uma pessoa está fechada comigo e quando ela não está. Quando estão concordando comigo apenas pelo fato de eu ser um líder ou se estão realmente acreditando na direção que estamos seguindo juntos.

Se este nível de verdade não existir, não existe um time. As suas opiniões serão sempre as melhores e todos concordarão com tudo. É um risco que eu, como líder, não posso correr: tomar todas as decisões sozinho é imaginar que eu tenho todas as respostas, o que certamente não é verdade. Hoje eu acredito que as melhores respostas surgem da opinião do conjunto e não do singular.

Bem, enquanto escrevia este post tive que parar para atender algumas pessoas e perdi a linha de raciocínio, mas fique com este insight: busque liderados que são sinceros e você terá um bom time. Onde não existe a verdade fluindo, não existe um time.

Valeu.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s