Como motivar as pessoas?

Eu trabalho com pessoas em diferentes esferas de atuação. Nos diversos ambientes nos quais atuo, algumas coisas são comuns. Uma delas é que em todos tenho que lidar com projetos, em alguns ambientes podemos até não utilizar a terminologia citada, mas é a mesma coisa.

Sempre que lido com projetos, alguns desafios também são comuns. Imagine os seguintes cenários: você tem que levantar fundos e reunir pessoas para ajudar o Nepal por causa de um terremoto, você precisa fazer a entrega de um software, ou de uma atualização de sistema. Os fins são diferentes, mas o molde é o mesmo, em todo projeto existem finanças, pessoas, tempo, escopo, etc.

Para cada projeto teremos pessoas diferentes, com interesses e atuações diferentes. Cada projeto acontece num momento distinto e, a mesma pessoa, pode ter um comportamento em um projeto e outro em outro. Além disso, a mesma pessoa pode ter uma variação de comportamento e desempenho dentro do mesmo projeto pelas razões mais diferentes. Enfim, é um cenário caótico e de total falta de controle.

O bom desempenho do time

Garantir o bom desempenho de uma pessoa é impossível. Qualquer gestor, por melhor que for, não pode dar nenhuma garantia de que terá sucesso em fazer com que as pessoas tenham uma boa atuação. Gestores mais experientes certamente serão mais assertivos em suas atitudes e provavelmente terão menos dificuldades para atingir este objetivo, mas certamente não existem garantias de sucesso.

Porém, em meio a esta montanha de variáveis, uma coisa é certa: pessoas motivadas produzem mais. E esta afirmação não é um grito solitário, eu sou apenas uma voz em meio a um grande coro pregando isso. Basta que você analise os trabalhos de Peter Van Oevelen, Kusurkar, Alimi Baba Gana e principalmente Daniel Pink e o Dr. Bharti Sharma.

Não posso ser infantil dizendo que esta é uma tarefa fácil. Motivar as pessoas é um processo longo, difícil e, principalmente, caro. Ele não é caro por se gastar muito para incentivar as pessoas com dinheiro, ele é caro pois o investimento de tempo necessário para o atingimento de um resultado é muito alto.

Eu não tenho, e creio que ninguém tenha, uma fórmula mágica de motivação, então quero passar apenas alguns princípios básicos, onde muitos ainda falham. Estes princípios não surgiram da minha cabeça, são fruto de experiência e décadas de pesquisas, de diversas pessoas ao redor do mundo.

As quatro necessidades básicas

Conhecer as pessoas

Antes de mais nada é imprescindível que você conheça as pessoas. Sem conhecê-las seus programas de motivação serão genéricos e nada assertivos. Conhecer as pessoas leva tempo, você precisa se importar com seus problemas pessoais, qual o seu passado, quais suas experiências fora do projeto, o que eles planejam para suas vidas, quais são seus medos, suas conquistas, etc.

Esta é uma das tarefas mais complexas de um gestor pois envolve um tempo que, normalmente, ele não tem. Porém, ela é tão imprescindível que não existe maneira de conversar sobre motivação sem conhecer as pessoas.

No passado tentou-se criar incentivos que motivassem as pessoas sem conhecê-las ou sem saber detalhes sobre cada uma delas. Estas tentivas se mostraram, na maioria das vezes, falhas e com resultados contrários ao esperado. Não quero me aprofundar muito neste ponto fingindo saber tudo sobre o assunto, então recomendo a leitura do livro “Drive”, do autor Daniel Pink. Neste livro ele detalha os estudos científicos que refutam teses como pagamento de bônus, motivação extrínseca, etc.

Estudar

O mundo muda o tempo todo e as pessoas mudam com ele. Se não estudarmos constantemente sobre o assunto, sobre o que está sendo feito e sobre o que já foi feito, iremos trilhar uma estrada sozinhos, enquanto poderíamos nos nutrir do trabalho bem sucedido de outras pessoas.

Neste tópico, eu recomendo que você pesquise por trabalhos científicos e livros de outras pessoas e estude-os. Existem, sinceramente, muitas pesquisas ruins, coisas sem sentido e perda de tempo. Porém, também existem trabalhos muito interessantes e que geram insights positivos.

Tempo livre

Sem tempo livre, tempo onde você estará pensando de maneira difusa (veja o trabalho da Dr Barbara Oakley), você aproveitará pouco do que tem estudado. Tempo livre para conectar novas ideias, criar novos caminhos para solução de problemas é imprescindível para que você trabalhe bem na motivação das pessoas e faça com que elas atinjam resultados positivos.

Não despreze o valor do tempo livre e nem o use como desculpa para ficar sem fazer nada.

Conselheiros

A experiência de outras pessoas ou até mesmo a inexperiência delas pode gerar bons frutos. Compartilhe de maneira aberta suas dificuldades em motivar as pessoas, de maneira honesta e profissional, peça ajuda em momentos onde as coisas não vão bem.

Este ponto está muito ligado ao ponto de estudar: pedir conselhos é uma maneira diferente de estudar alternativas e conhecer o que outras pessoas estão fazendo. Cercar-se de pessoas que trabalham com motivação, compartilhar dificuldades e vitórias é imprescindível para que você cresça como um líder motivador.

Algumas pessoas acreditam que trinta porcento do que aprendemos vem de conversas com pessoas e especialistas da mesma área, mas esta é apenas uam daquelas estatísticas que não sabemos exatamente onde surgiram.

Pense sobre estes pontos, meu tempo acabou…

Valeu.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s