Como contratar programadores – A consultoria

No último post eu falei que não acredito em consultorias para a nossa área e hoje, como prometido, explico os porquês.

Para dar um histórico, já trabalhei com várias consultorias, algumas que me ajudaram muito, outras que só me atrapalharam. Também já contratei através de indicações e buscando no mercado eu mesmo. Cada uma destas experiências, obviamente, tem prós e contras.

Para começar, temos que entender que a maior parte das consultorias simplesmente não sabe contratar um programador pois nunca trabalhou com um, afinal, o programador não faz parte do seu core bussiness. Como você confia numa empresa para lhe trazer o profissional adequado, se ela nunca vivenciou o trabalho com este tipo de profissional? Esta consultoria é “especializada” em contratar tanto programadores quanto vendedores. Isso é, no mínimo, estranho.

Mas, vamos supor que você encontrou uma consultoria que sim, tenha programadores trabalhando para ela e sabe como este profissional atua. Eu já encontrei uma assim e, sinceramente, a experiência foi boa. Eles aplicavam o teste técnico, avaliavam o mesmo, me davam um perfil psicológico do candidato e adequavam-se às nossas necessidades.

Mas, e sempre existe um mas, comecei a notar algumas coisas interessantes…

Inicialmente descobri que a consultoria estava dando parte do teste pronto para o candidato. Isso reduzia o tempo que ele passava na consultoria fazendo o teste, gerando menos custo para eles e permitindo que eles nos enviassem mais candidatos. Após isso percebi que as análises técnicas que eles estavam me passando não estavam sendo imparciais, muitas vezes um candidato ia mal no teste técnico e eles davam uma boa nota para ele.

Após estes, e alguns outros episódios, percebi o óbvio: a consultoria quer ganhar dinheiro, e isso só acontece se eu contrato o candidato que eles me enviam. Por isso, eles deturparam o teste, eram parciais nas avaliações técnicas e me geraram muitos problemas.

Outro problema é que, se a consultoria tem algum braço de programação dentro dela (o que resolve o primeiro problema que relatei neste post), o candidato que viria para mim, se for bom realmente, pode acabar ficando com ela. Ou seja, vem para mim o que eles não querem lá. Estamos num beco sem saída.

Mas os problemas não param por aí e eu nem falei sobre o maior deles… Lembra que eu comentei que precisamos contratar profissionais que tenham a cara da nossa empresa? Como vamos confiar numa outra empresa para fazer este trabalho? Esta empresa, muitas vezes, nem entendeu quem é a minha empresa, como vai saber o tipo de profissional que vai se encaixar melhor no meu contexto?

É triste, o custo é alto, é difícil, mas o que mais deu certo para mim foi quando a nossa empresa participou mais do processo seletivo e usou menos a consultoria. Quanto mais distante sua empresa está deste processo, mais custo final você vai ter. E esta conta não é fácil de fazer, o custo de pagar uma consultoria é mais simples de calcular, é mais “seguro”, mais previsível. Isso acontece pois não calculamos os problemas decorrentes de uma contratação mal feita, de uma contratação que deu errado…

Pense nisso antes de contratar sue próximo profissional, aquele que precisa se parecer com sua empresa, que vai se encaixar num contexto específico, que vai fazer parte de um todo.

Obrigado.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s